segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Luz e Sombra

Os Caminhos


O Caminho da Luz é o Caminho dos humanos e o Caminho das Sombras é Caminho dos Deuses.
O Caminho da Luz é limitado no tempo e no espaço, no entanto O Caminho das Sombras é eterno e infinito como a própria Vida.
O Caminho da Luz é auto-criado, no entanto O Caminho das Sombras existe desde sempre por sempre, Âmen.
O Caminho da Luz está em permanente evolução, mas o Caminho das Sombras não precisa evoluir pois é perfeito em si mesmo, já que o Ser que o trilha é plenamente livre em todos os planos da Criação.
O Deuses vivem no interior dos humanos ocultando-se da Luz, pois ela é a prisão e o castigo de todos os tempos.
Tempos que não precisariam existir se não fosse pelos luminosos raios que insistem em dominar as Sombras.
Dominar, subjugar, destruir; a Luz é mente e o que a mente não entende o destrói, e o faz antes que enfrentar seu temor ao desconhecido, temor ao que não se pode Nomear, ao Incognoscível: o Criador que habita nas Sombras de cada Ser que povoa este planeta.
Mais além de tudo isto encontra-se a Verdade -Una e indestrutível- que de longe observa os seres e a Luz, suas Luzes e as Sombras.
Mais além de tudo isto encontra-se a mentira, que esconde a Verdade em si mesma em uma vã tentativa por dominá-la.
Mas que seria dos humanos sem a Verdade e a mentira?
Que seria dos Seres sem a Aurora que apresenta-se todos os dias anunciando uma nova etapa de tempo para o eterno recomeço e morte, de Vida e separação, de noite e de dia?
Que seria deles se somente existissem as Sombras? Como interpretariam um mundo sem Luz?
Por isso, a Luz, a mente, ainda é necessária, mas chegará o momento no qual as Sombras reinarão absolutas novamente sobre os cadáveres dos maus pensamentos que logicamente espalham-se sem que nada os possa conter.
Não devemos confundir Luz e Sombras com o bem e o mal; a Luz é a mente, o externo, e as Sombras são o interno, a conexão total e irrestrita com o Universo Infinito; é o Ser totalmente alinhado, identificado e permeado pelo Um, pelo Todo, por tudo e por todos.
Mas faltava, faltava a expressão do Amor, e assim surgiu a Luz, a expensas da pureza, tornando-se as Asas do Amor.
O vôo da Luz encheu de tempos, espaços e esquecimentos o Universo, e os Seres aferraram-se a ela esquecendo o motivo real de sua existência.
Esse é o drama que se desenvolve hoje entre os seres humanos: o esquecimento; esquecimento que tornou-se des-Amor, fora do Amor, fora da realidade real, passando a habitar entre a ilusão de que tudo é Luz, e que somente a Luz é boa pois nela habita o Amor.
Que enganados estão! Que ilusão tão grande!
E assim vão os seres, procurando o Amor na Luz, procurando entendé-lo através dela.
Mas assim como nunca entenderemos um pássaro através de suas asas, da mesma forma, jamais entenderemos o Amor através da Luz, através da mente, através dos pensamentos.
O Amor surge, ainda que não se entenda como nem porque; assim foi, assim é e assim sempre será.
Somente podem entender e perceber, viver e desfrutar o Amor nas Sombras, por ela, nela e através delas, pois elas são Amor puro, sendo que a única forma de viver a experiencia que o Amor proporciona é através de suas verdadeiras asas: a Paixão!
Paixão por tudo, pelo Todo, por todos, pela Vida!

Debora Rocco

Dança Cósmica


No Fio da Navalha

Meditar é encontrar a conexão entre as coisas, entre elas e os Seres, entre os Seres e o Todo; é conhecer a essência intrínseca de tudo, de todos e do Todo; é compreender a relação existente entre todas essas partes, é submergir-se na Unidade.
É descobrir o porque do lugar de cada coisa e colocar cada coisa em seu lugar; é dar-lhe a tudo, a todos sua dimensão exata no Todo.
Porém, encontrar essa conexão, implica num ir cada vez mais á uma consciência maior, é estar plenamente despertas, mesmo quando entramos no estado chamado sono.
O mais próximo que se conhece a essa consciência maior, é a meditação, na qual nos submergimos por momentos mais ou menos extensos, sem perder a percepção de nosso corpo, chegando a uma abstração temporal do entorno; no entanto, quanto maior se torna esta consciência, este conhecimento, mais próximos estamos do Todo, de todos.

E cada vez as conexões tonam-se mais claras, chegando ao ponto em que estamos em permanente meditação, em permanente conexão, sem necessidade da abstração.
Enquanto dormimos nos abstraímos não somente de nosso entorno, como também de nosso corpo; porém quando a consciência alcança determinado grau de conexão, passamos a não dormir, pois a conexão é tão forte a todos os níveis de nosso Ser, que não dormimos, simplesmente nos abstraímos do mundo, numa meditação mais profunda, sem perder a consciência, a conexão com ele.
Isso faz que ao acordar tenhamos uma sensação estranha de cansaço mental, como se não tivéssemos dormido, -e na realidade não o fizemos- pois não conseguimos desconectar-nos totalmente como antes, da consciência expandida.

É um estado de difícil adaptabilidade, pois ao principio, nossa parte física não está habituada, o que pode provocar leves dores de cabeça e uma espécie de sonolência constante; sendo que ao mesmo tempo é como se estivéssemos padecendo de insonia; se nos dispomos a dormir, nossa consciência segue tão lúcida como se tivéssemos dormido varias horas.
Inesperadamente em meio a tudo isto, nos assalta o temor á loucura, a loucura de ver tudo com tanta clareza, e o medo de perder-nos dentro dessa claridade, que nos atrai cada vez mais, claridade da qual precisamos como o ar que respiramos, e sem a qual nada faz sentido.
E assim, descobrimos que o sentido de tudo é tão simples, que basta pensar em algo e as conexões sucedem-se de forma espontânea, iluminando os fatos com a Luz dessa clareza que é a consciência maior, a consciência expandida.

Essa linha pode levar-nos á beira da loucura, se não mantemos um pé na pequena consciência, na consciência ordinária, que é o conhecimento das coisas ordinárias, da ordem do dia a dia; pois do contrario podemos sucumbir sob o peso da consciência extraordinária, a consciência fora do comum, fora da ordem estabelecida, a consciência do significado das coisas e dos fatos por trás dessas coisas e desses fatos, o significado dos Seres por trás dos Seres.
É como caminhar no fio da navalha, se nos descuidamos, podemos cair numa das duas consciências, e para quem conhece esse caminho, qualquer dessas duas consciências, separada uma da outra representa um perigo mortal; pois caindo na consciência ordinária nos perderíamos do Todo, e isso significaria involuir, -o que nos é insuportável- e fatalmente nos levaria ao desespero, á imobilidade e consequentemente á perda do desejo de viver.
Caindo na consciência extraordinária nos perderíamos num mundo paralelo, real e verdadeiro, porém separado de nosso entorno, de nós mesmos, e por isso, como entes físicos, nos tornaríamos insanos.
O equilíbrio entre uma consciência e a outra, fere nossos pés, pois esse equilíbrio encontra-se num caminho tão fino, tão sutil como o fio de uma navalha.

Neste caminhar podem ocorrer duas coisas se não conseguimos nos manter nele: ou ser cortados, divididos ao meio no sentido vertical, ou cair inteiros em uma das duas consciências; com a consequência própria de cada queda.
A única forma de não perder o equilíbrio, é ser tão leves como o Ar, que flutua, que toca, mas não se apóia, que tudo o trespassa, e é trespassado por tudo.
E somente a absoluta pureza de coração, conjuntamente com um resgate total da Alma, das memorias, do Karma, pode nos tornar Ar, pode manter-nos como Abel que nascemos, para não cairmos novamente na divisão, para que não sejamos vitimados pela morte, que é o conceito da separação.
Nesta consciência consciente, a Paz interior se faz presente, e tudo se torna uma fonte inesgotável de aprendizado, de prazer em seu mais alto grau, o prazer da conexão, o prazer da respiração da fragante essência que exalam os Seres e as coisas.

Esta consciência consciente é estar permanentemente desperto e acompanhado, é desintegrar o fantasma da solidão, é desterrá-lo de nossa existência para sempre, por sempre, Amém.
É não precisar dos outros, porque temos plena consciência de estar neles e de que eles estão em nós; não precisar no sentido de não desesperar-nos por ter o outro, porque somos nele e ele é em nós.
É poder dar-se, entregar-se totalmente sem restrições, com absoluta confiança, porque é como dar-nos, entregar-nos a nós mesmos, é saber que o outro não pode e não quer nos lastimar, nos fazer dano, ao igual que nós não nos faríamos; ao igual que não o faríamos a ele.
É Poder Ser e Estar, é a felicidade plena que bate a nossa porta, e nos convida a Viver numa comunhão de Almas, com todos, com o Todo.
É passar pelo outro e deixar que ele passe por mim, é trespassá-lo e trespassar-me ao mesmo tempo, é envolver-se infinitamente com o Ser, com a essência do outro, é uma dança Cósmica de inigualável beleza e comunhão; é a dança dos Seres que deslizam-se na Harmonia Universal, ao compasso da Sinfonia da Graça.

Debora Rocco

A Grande Mãe, O Princípio Do Eterno Feminino




A Grande Mãe representa a Energia Universal Geradora, o Útero de Toda Criação. Na Sagrada Tradição, a Deusa se mostra com três faces: a Virgem, a Mãe/Amante e a Anciã, sendo que esta última ficou mais relacionada à bruxa na imaginação popular. A Deusa Tríplice mostra os mistérios mais profundos da energia feminina, o poder da menstruação.
A Grande Mãe é a face mais conhecida da Deusa e pela qual Ela é mais chamada desde o começo dos tempos. A Deusa como Mãe simboliza aquela que dá a vida, mas também pode tirá-la, assim como tudo na Natureza. Ela se preocupa com seus filhos, ela é fértil, sexual, justa, segura de si.

Podemos entrar em contato com a Divina Mãe sempre que tivermos que fazer qualquer tipo de escolha, pedir bênçãos e proteção, agradecer por algo conseguido, pedir conselhos sobre que caminho tomar, ou mesmo quando busca estar em paz.

Como as outras faces, a Mãe também foi representada em diversas culturas do mundo e teve muitos nomes, tais como Deméter, Isis, Freya.
A adoração a uma Deusa Mãe foi a primeira forma de religiosidade dos povos antigos, mesmo no período Paleolítico. Há muitas evidências arqueológicas cerâmicas e pinturas nas cavernas que mostram esta realidade.
Uma grande evidência desse culto antigo vem das numerosas estátuas de mulheres grávidas com seios, quadris, coxas e vulvas exagerados. Os arqueólogos chamam essas imagens de “Vênus”. Tais estátuas foram encontradas na Espanha, França, Alemanha, Áustria, Checoslováquia e Rússia e parecem ter pelo menos dez mil anos.

São objetos particularmente interessantes porque mostram que a fertilidade da mulher era vista como sagrada. Talvez por isso exista uma relação tão grande entre a mulher e a Terra como um todo, pois os antigos viam como a Energia Criadora, que dava à luz uma nova vida, era feminina.
No entanto, que isso jamais teve o intuito de afirmar que os povos antigos acreditavam única e exclusivamente numa Grande Mãe; afirmar isso seria ignorar toda a crença politeísta que guiou os dias de hoje. O Sagrado Feminino não significava UM Sagrado Feminino, mas a sua representação.
Os seguidores da Sagrada Tradição veem o Sagrado Feminino como “A Deusa dos Mil Nomes”, em função da variedade de cultos a deusas em toda a história das civilizações.

Isto não significa que exista, na verdade, uma só Deusa que tenha tantas faces, mas que todas essas faces sejam divindades distintas. A denominação única “Deusa” não nos leva a um monoteísmo; pelo contrário! Apenas usamos para denominar essa crença no Sagrado Feminino como um todo.
Podemos entrar em contato com a Divina Mãe sempre que tivermos que fazer qualquer tipo de escolha, pedir bênçãos e proteção, agradecer por algo conseguido, pedir conselhos sobre que caminho tomar, ou mesmo quando busca estar em paz.

Oração da Grande Mãe

"A sua Arte, Senhora, veio à luz.
Quem poderá escapar de seu poder?
Sua forma é um eterno mistério;
Sua presença paira
Sobre as terras quentes.
Os mares te obedecem,
As tempestades de acalmam.
A sua vontade detém o dilúvio.
E Eu, tua pequena criatura,
Faço a saudação:
Minha Grande Rainha,
Minha Grande Mãe!"

Fonte - Wicca sucesso e cultura.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Limpeza nos Dois Mundos



As Bruxas me ensinaram sobre os ciclos de energia, dizendo que eles mudam nos Sabaths e nos Esbaths.
Sendo assim para nos alinhar com eles e aproveitar o seu fluxo a nosso favor, precisamos aprender a usar esses ciclos.

Elas dizem que somos como a Lua:

– Na Minguante nos “recolhemos e aprendemos” em nosso interior, resgatando
conhecimentos e espalhando-os “aos 4 ventos”, os Ventos da Deusa, da Grande Mãe.
– Na Crescente “crescemos” em alguma ou em diversas áreas de nossa vida interna.
– Na Cheia chegamos ao “auge” e brilhamos interiormente, o que pode ou não ser percebido externamente.
– Na Nova nos “estabelecemos”, ou seja que nos reafirmamos em nosso próprio Poder.
– E por último, na Lua Negra “celebramos” a nossa riqueza interior.

Por tudo isto, devemos aprender a nos “alinhar” dessa forma com a Lua, não somente planejando as coisas, como também identificando os acontecimentos em cada fase, principalmente quando algo que desejamos não “anda”, não acontece, pois tal vez estejamos em uma Lua Minguante e não na Crescente ou na Cheia.
Mas o assunto que nos trás aqui é a limpeza de uma casa que precise ser liberada de energias negativas.

Você vai precisar:

– Duas partes iguais, uma de alecrim e outra de sal groso
– uma vela branca comum
– uma vela preta comum

A vela preta representa a Deusa Escura da bruxa que vai fazer a limpeza e a branca o ánimus dela, ou seja a parte masculina de seu Self, ou Homem Interior, a sua consciência terrestre.
Sendo assim, me perdoem os homens, mas esta limpeza só pode ser feita por uma mulher.
Preparar a mistura do sal com o alecrim em um pote de vidro ou cerâmica, não sendo de plástico, pode até ser em uma panela.
Se tiver a panela da bruxa use-a para isto, se for usar uma panela ou outra vasilha que usa na cozinha, estará perfeito, somente antes de usar passe a fumaça de um incenso do seu agrado por dentro e por fora dela.
Depois de terminar a limpeza com sal e alecrim lave-a normalmente, e use como sempre em sua cozinha.
Bom, tendo a mistura feita, acenda as velas no chão, com espaço suficiente entre elas para que você possa se mover e se sentar entre elas.
A preta fica na sua esquerda e a branca na direita; acenda-as e sente-se no chão entre elas, para se “tranquilizar” como dizem as Bruxas, ou seja para sintonizar-se com a sua Deusa Escura e com seu Homem Interior.

Para isso imagine ela ao lado da vela preta e ele ao lado da vela branca; não se apresse, mantenha a imagem uns instantes.
Feito isto, imagine o círculo zodiacal em cores, signo por signo, começando em Áries e continuando pela ordem. Quando o fizer imagine que esse círculo colorido cresce e envolve toda a casa.
Eu desenhei o circulo com Luas porque foi mais fácil de fazer, mas imagine uma linha de cada cor, com isso é suficiente.
Ao terminar levante-se pegue o pote com a mistura de sal e alecrim e faça um circulo com ela por fora das velas.
Depois saia do circulo passando por cima dele, e deixe as velas queimar até o final; quando isso acontecer junte todos os restos, de velas e a mistura com que fez o circulo, usando uma vassoura e uma pasinha qualquer, e jogue tudo no lixo.

Esta limpeza além de limpar protege a casa e seus moradores; ela deve ser feita em todos os Sabaths e sempre no Esbath de Lua Crescente.

Quando estivermos alinhados com o fluxo da energia da Lua e com o ciclo das colheitas (Sabaths), estaremos limpos e protegidos, e as coisas vão fluir com maior facilidade em nossas vidas.

Debora Rocco

Tendas Lunares



Na época do Matriarcado as Anciãs das tribos ensinavam nos chamados “Conselhos de Mulheres” e nas “Tendas Lunares”, as tradições que suas antepassadas lhes haviam legado.

As Tendas Lunares também foram conhecidas pelo nome de “Tenda Vermelha” ou “A Lunna Rubra”
Nestas “Tendas da Lua” realizavam-se ritos cerimoniais e de iniciação nos quais as mulheres uniam-se através de seus ciclos naturais, celebrando os ritos de passagem sem dor e sem culpa e com a plena aceitação de seu Ser-Mulher em todas as idades.

Nestas reuniões cheias de mistério e envolvidas por uma grande energia mágica, bênçãos eram transmitidas de umas mulheres para as outras, assim como também o conhecimento milenarmente guardado no que elas chamavam de “Mistérios do Sangue”.

Nas Tendas Lunares se aprendia e se ensinava sobre as ervas sagradas, a interpretação dos sonhos, e como através do amor umas deviam cuidar das outras; iniciavam-se juntas nos mistérios da Grande Mãe, para que assim ao conectar-se com a energia do “Grande Útero Dela” pudessem evoluir, não somente para si mesmas como para sua família e comunidades as quais pertenciam.

Dentro da sabedoria do Sagrado Feminino daquela época também podemos encontra a “Tenda do Suor” ou a Inipi, um lugar onde suavizar os desconfortos da menstruação, onde tratar problemas de infertilidade, a gravidez o parto e até o pós parto e a quarentena.

As mais velhas ensinavam as que seriam mães pela primeira vez sobre como estimular a produção do leite materno e a reequilibrar seu sistema hormonal.

Está em nós a oportunidade de nos tornar conscientes das áreas esquecidas de nossa psique, sangrando, crescendo, amadurecendo e envelhecendo plenas e felizes de sermos sempre o que realmente somos: MULHERES!!

Debora Rocco

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Sagrado Feminino


Arquétipo Feminino em Resgate

Houve um tempo, em que todas as mulheres eram sagradas. Em que eram vistas como Deusas, como senhoras de seu próprio destino.
Houve um tempo, em que o corpo era sagrado, em que o sexo era uma prece. Em que homens e mulheres respeitavam-se e reverenciavam-se.
Houve um tempo em que a mulher era feiticeira, faceira, tecelã, curandeira, parteira.

A mulher banhava-se na natureza, perfumava-se com jasm
im. Andava de pés descalços, corria pela mata. Usava compridas saias, rodadas, coloridas, leves. Dançava para ela, dançava para a vida, dançava para seduzir, dançava para fertilizar.
Sua voz era como o canto da mais bela ave. Sua beleza era fascinante, encantadora. Era aos poetas a inspiração e aos músicos, canção. A mulher era rendeira, cozinheira, mãe, sagrada, admirada. De joias e pedrarias era adornada e, da natureza, sua maquiagem retirava.

Onde está esta mulher?
Em que fase da história ou período ela perdeu-se?
Onde devemos procurá-la?
Na verdade, esta mulher-sagrada ainda existe. Está imersa em outras formas, em outras faces, em outros costumes. Mas se priva, se poda, se adapta, se escraviza... E não lembra do que já foi em sua totalidade.

Hoje esta mulher é empresária, médica, advogada, policial, recepcionista, dona-de-casa, política, enfermeira, escritora, estilista. Ela ainda está aqui, mas não lembra quem realmente é. Perdeu a memória. Esqueceu-se de sua sacralidade, de sua divindade, de sua superioridade.

Mulher!
Coloca tua saia rodada, penteia-se com o orvalho, tira o sapato dos pés.
Permita-se bailar com o vento, satisfazer seus desejos, impor sua vontade.
Permita-se amar, realizar, cantar.
Permita-se sentir bela, amada, desejada, sentir prazer.
Permita-se fazer aquilo pelo qual tua alma anseia.
Permita-se honrar a Deusa, ao Deus, à natureza.
Permita-se viver a tua vida, e ser a senhora absoluta do teu destino.

Mulher, dentro de ti há tantas outras, que tu ignora totalmente.
Será você fértil doce e maternal como Deméter?
Ou vingativa como as três Fúrias?
Quem sabe arrebatadora e feroz, como as Harpias.
Talvez seja feiticeira, sábia e misteriosa como Hécate.
Ou soberana e dotada de magia como Ísis, mãe dos egípcios.
Um tanto implacável, forte e destemida como Kali.
Encantadora e misteriosa como as Nereidas.
Quem sabe é curiosas como Pandora. Confiável e mensageira, como Íris.
Ou justa como Têmis. Talvez seja sensual, impulsiva e totalmente movida pela paixão, como Afrodite.
Ou seja, selvagem como Ártemis.
Pode ser que seja repleta de cores e amores como Eros. Ou então maléfica como Éris.
Mas... Possivelmente, sejas todas elas juntas!

Mulher, vem!
Resgata o teu papel, o teu feminino sagrado, tua ancestralidade.
Não tenha medo de seguir a luz, de se entregar ao Sol.
Muito menos de mergulhar nas trevas do submundo, das fogueiras, dos encantamentos.
Prove de todos os reinos e sabores, permita-se viver intensamente cada instante.
Siga seus instintos e extintos.
Seja simplesmente você.
Pandora de Lys

quarta-feira, 8 de março de 2017

O Sagrado Feminino - A Sabeoria da Mulher Sagrada



“Sagrado Feminino” significa várias coisas, uma vez que se expressa em várias dimensões da vida:

• Na dimensão espiritual significa incluir e valorizar o feminino como uma dinâmica igualmente fundamental da força criativa da vida e do Divino. O yang não pode existir sem o yin. Significa lembrar a nossa interconexão e unicidade: não estamos separados uns dos outros nem da criação.

• Na dimensão religiosa, significa incluir e honrar o rosto feminino de Deus na expressão religiosa, rituais e cerimônias, com linguagem inclusiva (como Deusa Mãe/ Deus Pai). Significa reconhecer e honrar as divindades femininas e arquétipos da Deusa ao longo de toda a história e culturas.

• Na dimensão planetária significa ver a Mãe Terra como a nossa Mãe, respeitando-a e curando-a.

• Na dimensão cultural significa reconhecer a sacralidade de toda a vida, a nossa rede de interconexão e comunidade; celebrar a grandeza e sabedoria do feminino em todas as culturas, nas artes e na expressão criativa.

• Na dimensão psicológica, significa recuperar as qualidades do Feminino como importantes qualidades interiores de totalidade e equilíbrio dentro de cada indivíduo, do sexo feminino e masculino.

• Na dimensão humana, significa valorizar a mulher como pessoa inteira-corpo, mente e espírito e valorizar as mulheres em igualdade com os homens.

• Na dimensão social, significa resgatar as vozes, visões e sabedoria das mulheres para serem recebidas e integradas ao serviço da cura social e do equilíbrio. Significa valorizar as contribuições das mulheres em casa, como cuidadoras, bem como no local de trabalho e na comunidade.

• Na dimensão política, significa usar a autoridade do poder para servir o bem maior, para proteger e servir a vida e não para dominação, ganância e interesse pessoal. Significa proteger a riqueza comum dos recursos planetários, tais como água, comida, ar, solo, energia.

• Na dimensão histórica, significa reconhecer e ensinar nas escolas as descobertas arqueológicas das culturas da Deusa, no tempo pré-patriarcal, baseadas em valores de parceria e aprender com elas um paradigma de sociedade que usa o poder para servir a vida, e não por ganância. Significa também incluir na história as contribuições das mulheres, bem como a história do Holocausto das Mulheres (600 anos de fogueira).

• Em valores da vida diária que significa boas-vindas, incluindo e ouvindo um ao outro, ao serviço da compreensão. Significa aceitar e respeitar as diferenças. Estar aberta à compaixão. Significa estar aterrado no coração, usando a cabeça a serviço de um bem maior. Significa incluir a intuição na percepção e tomada de decisão. Isso significa estar ligado à bondade, vivacidade, sensualidade e sabedoria de o corpo. Significa usar o poder pessoal para servir e para criar, não para dominar e explorar.

Texto: Vikki Hanchin, LSW
Traduzido e adaptado por SM/IC/A mulher e a Sexualidade Sagrada

O Sagrado Masculino - A Sabedoria do Homem Sagrado


Assim como as mulheres os homens também tem seus ciclos e é muito importante tanto para os homens como para a sua companheira, conhecer o seus ciclos honra-los e respeita-los.
O ciclo do homem é ligada a energia do nosso pai o Sol.
E esta intimamente ligado as quatro estações: primavera, outono, verão, inverno. Sendo que nas estações de maior luz solar e calor o homem restaura sua força: primavera e verão.
Então sabendo disso o homem sabe que a estação do mês para ele abrir novos negócios e fazer mudanças em sua vida é sempre a primavera, porque é a estação mais favorável para um homem sagrado adquirir força e poder. O verão é onde atinge seu ponto mais alto de poder, esta estação é muito favorável para ser eleito pela mulher amada.
No outono é a estação de se recolher, voltar para o útero da mãe terra, se preocupar em ajudar a mãe terra, servir de adubo para a vida na terra, se preocupar em conscientizar as pessoas sobre ecologia e ajudar a mãe terra a se fortalecer. Seu Ciclo como todos os ciclos representam o ciclo da vida, nascimento, crescimento, envelhecimento e morte.

Os homens passamos por esses ciclos de Nascimento, Morte e Renascimento ao longo do ano. Porque os ciclos masculinos diferente do feminino é anual.
O homem que entende seu ciclos e age de acordo com eles, segue o fluxo da natureza. Com isso obtém maiores resultados em sua vida no geral. E respeitando agindo dentro dos seus ciclos, ele faz a roda de sua vida girar, de forma fácil, harmoniosa, deixando a força do sol e das estações anuais o auxiliarem em suas conquistas em pró de si mesmo e em pró do planeta.
Porem essa informações foram praticamente escondidas dos homens, com isso podemos ver que o sistema patriarcal não prejudicou só as mulheres, prejudicou muito aos nossos irmãos do sagrado masculino que foram obrigados a nascerem em um sistema doente e perderam muito do conhecimento sagrado que antes tinham sobre eles mesmos, um destes conhecimentos era marcar os seus ciclos e de vivê-los de maneira total.

Em cada ciclo o homem tem o amparo de alguns Deuses o que nada mais é do que os arquétipos da luz, ou seja a representação da divindade com energia masculina, esses arquétipos vem para ligar nossa sacralidade com a sacralidade divina. Então em cada estação o homem pode pedir auxilio a uma das forças do Deus pai, bem como pedir auxílio o ano inteiro ao pai Sol:

Inverno – Hórus (como criança)
Krishna (como criança)
Hades
Osíris
Shiva
Criança Solar
Set
Ull (ou Wulder)

Primavera – Adonis
Brahma
Dionísio
Eros
Himineu
Cernunnos
Marduk

Shu
Verão – Apolo
Hórus (como Falcão Solar)
Dagda
Hélio
Khepri

Lugh
Zeus
Hanumam
Agni
Cernunnos
Surya

Outono – Adonis
Dumuzi
Tammuz
Osíris
Merlim
Odin
Shu
Anúbis
Thot

É muito importante também que o homem honre e respeite os ciclos de sua companheira, procure conhece-los para assim poder fazer, porque isto também faz parte da natureza tanto do homem como da mulher, isso é estar em harmonia com o pai sol e com a mãe terra.

Assim como as mulheres os homens também podem ter um diário.
neste caderno ele anota suas experiências que teve o ano todo buscando observar como se sentiu e que resultado ele teve em cada estação do ano e em dias com mais ou menos sol. Esse diário é maravilhoso porque faz o homem entender melhor seus ciclos, sabendo nos anos subsequentes qual são os momentos que sua ligação com a natureza lhe são favoráveis. Também pode anotar suas meditações, sonhos, trabalhos com plantas de poder e tudo que o liga com sua espiritualidade e poder da natureza. Este diário tem um nome, chama-se Diario Solar.

Por: Carlos Caruso – Via Sagrado Masculino

quarta-feira, 1 de março de 2017

Ervas Medicinais que ajudam Combater Doenças



Uma vida mais protegida com a ajuda da natureza.

Ipê-roxo, banana, amora e óleo de gergelim são algumas produtos com propriedades curativas.

Saiba como substituir os remédios por chás caseiros feitos com ervas medicinais e combata gripe, resfriados e outros problemas de saúde. A orientação médica é sempre importante em casos mais graves.

Ipê-roxo

Aumenta a imunidade
Caso tenha contato com alguém doente, fortaleça seu sistema imunológico: tome ½ litro de chá de casca de ipê-roxo (em pequenos goles ao longo do dia), preparado em infusão. Beba o chá no máximo uma vez por semana - mais do que isso pode fazer mal.

Camomila e espinheira-santa

Diminuem a gastrite nervosa
Se você sente azia e dor de estômago, já foi ao médico e descobriu que a tensão diária é que tem atrapalhado sua digestão, prepare em infusão o chá de camomila com espinheira-santa. Coloque numa garrafinha e tome pequenos goles ao longo de 15 dias.

Amora

Ameniza os calores da menopausa
Tomar suco de amora diariamente alivia esse sintoma. A folha da planta também serve, em decocção.

Óleo de gergelim

Cura a conjuntivite
Faça compressas frias ou mornas de chá de rosa-selvagem (ou rosa-canina), preparado com as pétalas em infusão. Em casos mais graves, pingue nos olhos, três vezes ao dia, duas gotas de óleo de gergelim de boa qualidade, prensado a frio (encontrado em lojas de produtos naturais). Depois de aberto, envolva o vidro em um plástico ou papel escuro e armazene na geladeira por no máximo seis meses.

Guiné

Combate a micose de unha
Prepare um chá de guiné em infusão e passe no local afetado três vezes por dia, com um algodão. Tenha paciência: o tratamento pode durar meses e deve ser seguido por mais um tempo após a cura.

Banana

Evita coceira de picadas de inseto
Esfregue sobre a picada a parte interna (branca) da casca de banana. Se a picada já virou uma ferida, molhe um algodão em própolis, coloque na pele e fixe com esparadrapo.

Gengibre

Acaba com tontura, vômito, bronquite e dor de garganta
Mastigue raiz de gengibre ou faça um chá em infusão e tome três xícaras diárias.

Carqueja amarga

Recupera da intoxicação alimentar
Tome três xícaras diárias de chá de carqueja amarga, chapéu-de-couro ou qualquer fruta verde não cítrica (como maçã, pera, manga, banana ou goiaba) preparado em decocção. A fruta verde é rica em tanino, excelente para curar diarreia.

Babosa

Reduz o mal-estar da quimioterapia
A folha estimula as defesas do corpo. Em vez de fazer chá, que tem um gosto horrível, prepare "comprimidos", descascando a babosa até formar um "filé" da polpa. Corte-o em quadradinhos de 1 cm, disponha-os num prato e leve-os à geladeira por 12 horas. Os quadradinhos formam uma película que isola o gosto ruim. Três desses por dia atenuam os efeitos da quimioterapia.

Trata Queimaduras

A babosa tem ação analgésica, anti-inflamatória, cicatrizante e bactericida. Coloque um "filé" da polpa sobre a queimadura por duas ou três horas e depois vire o lado. Evita que a pele forme bolhas, acelera a cicatrização e cessa a dor no mesmo dia.

Qualquer uma das fórmulas leva duas colheres (sopa) de erva para meio litro de água e dura 12 horas na geladeira.


Maneira correta de prepara os chãs

- Infusão: Método para plantas aromáticas (que soltam cheirinho quando a folha é esmagada). Aqueça a água até exatos 37ºC (use um termômetro), desligue o fogo, ponha a planta na água e deixe agir por dez minutos antes de tomar.

- Decocção: Se a folha tiver cheiro de mato (parecido com o da grama), use o método da decocção. Coloque a planta na água e leve-a ao fogo. Assim que o líquido levantar fervura, marque dez minutos no relógio, desligue e pronto!


Ana Maria

Chá nos Cabelos: Limpeza, Força e Brilho


Chá = Xampú

Para tanto, o chá é combinado a uma pequena quantidade de bicarbonato de sódio, cuja a missão é remover os resíduos.
Misture 1 colher (café) rasa de bicarbonato de sódio dissolvido em um copo de chá. Aplique nos cabelos úmidos e massageie o couro cabeludo, delicadamente, com a ponta dos dedos. “Cuidado: quanto mais a gente fricciona, mais a oleosidade é estimulada”
O uso do bicarbonato, no entanto, não é uma regra – até por ser um agente químico. Usado diariamente, aliás, não é saudável e nem sustentável. “Quem tem alergia ao bicarbonato, sugiro usar somente o chá de juá”
Há quem finalize com vinagre de maçã.

Chá de quê?

Se a ideia não é usá-lo para a mistura de limpeza, o chá pode ser usado para fortalecer, dar brilho e controlar a oleosidade, entre  outras funções.

Camomila: Clareamento e brilho.
Alecrim: Dá brilho a cabelos escuros, fortalece e age como um anti-caspas
Jaborandi: Ajuda no crescimento e combate a queda dos fios.
Cravo-da-índia: Cabelos secos (8 flores por chá)
Canela: Cabelos oleosos e crescimento (1 unidade)
Urtiga, canela e chá verde: Controle da oleosidade
Sálvia e chá preto: Escurecer os fios
Sálvia e manjericão: Tratar a caspa
Alecrim, jaborandi, chá verde e chá preto: Estimular o crescimento

Alerta: alérgicos à ingestão de chá de canela e cravo também devem evitar a aplicação nos cabelos, já que o líquido pode escorrer pela pele, ser absorvido e causar alguma reação.

Chá e algo a mais…

Spray Clareador com Chá de Camomila

-2 colheres de sopa de suco de limão
-3 colheres de sopa de sal do Himalaia (este sal contém menos sódio e por isso será melhor para não ressecar o seu cabelo)
-120 ml de chá de camomila
-1 colher de chá de canela em pó
-1/2 colher de sopa de óleo de coco
-1 copo de água morna
-1 tubinho de spray

Primeiro, dissolva o sal no suco de limão. Isso vai tornar a sua vida mais fácil e vai impedir o sal de bloquear o tubinho do spray. Depois você pode misturar todos os ingredientes. Utilize um funil para colocar o conteúdo na garrafinha e você está pronta para usar! Lembre-se de balançar antes de usar para ter certeza de que os ingredientes estão bem misturados. Se você precisar, pode guardar a mistura por alguns dias na geladeira.  A equipe da Sublime testou esse spray no cabelo seco, molhado e úmido. “A última opção foi a melhor para clarear os cabelos, pois os cabelos ficaram mais naturais. Se você prefere os seus cabelos mais cacheados, aplique nos fios secos.”

chás para Controlar a Queda dos Fios

Chá de Cebola

-1/2 cebola pequena picada
-Açúcar mascavo/mel
-1 xícara de água

Ferva os pedaços picados da cebola com a água por alguns minutos. Desligue o fogo, coe e espere amornar. Adoce o chá com açúcar mascavo ou mel e beba até três vezes ao dia.
*Os pedaços frescos da cebola podem ser substituídos pela casca seca do vegetal e os resultados são os mesmos.


Chá de Jaborandi

-Folhas trituradas de jaborandi
-1 litro de água

Coloque numa panela a água e adicione 3 colheres de sopa das folhas trituradas da erva. Deixe cozinhando enquanto que não ferve e assim que começar a fervura espere por mais três ou quatro minutos antes de desligar o fogo. Retire do fogão, tampe e deixe repousando por 10 minutos. Passado esse tempo, coe e beba de duas a três xícaras ao longo do dia.
*Esse chá também pode ser aplicado no cabelo como uma loção.

1º DIA DO MÊS - Dia de Soprar a Canela


1º DIA DO MÊS, todo mundo já sabe: DIA DE SOPRAR A CANELA!
SOPRE A CANELA DE FORA PARA DENTRO DE CASA!

Abra a porta de casa, polvilhe canela em pó na mão e sopre na porta de FORA PARA DENTRO e para dentro de casa dizendo:

"Quando essa canela soprar,
A Prosperidade nessa casa vai entrar!"

Não lave a mão para tirar a canela que ficou!!
Esfregue uma mão na outra sobre sua cabeça, aí pode lavar.

Theresa Tullio

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

As Leis da Magia



A natureza dessas Leis e vice-versa

Agora estamos prontos para entrar em uma descrição das formas básicas em que os fenômenos mágicos parecem comportar-se. As Leis da Magia não são leis civis, mas, como as de física ou de harmonia musical, são observações práticas que foram se acumulando ao longo de milhares de anos, com notável semelhança em quase todas as culturas humanas conhecidas. Aqueles de vocês que preferem permanecer céticos quanto à realidade dos fenômenos psíquicos e os sistemas de magia desenvolvidos para controlá-los, pelo menos, encontrarãonestas Leis um guia interessante e detalhado para que os psicólogos e antropólogos tão condescentemente se referem como “pensamento mágico”. Aqueles de vocês que jogam com magos como personagens vão encontrar essas leis notavelmente um guia conciso para as maneiras pelas quais a maioria dos magos, pelo menos neste mundo, acreditam que é assim que a magia funcione. A maioria das motivações técnicas de magia, usando personagens, antes, durante e depois de usar magia, será com base nessas leis. Dado que eu realmente não poderei reescrever o meu primeiro livro mais uma vez neste texto slim, eu não vou dar a explicação longa de cada lei. Você pode consultar as obras na Bibliografia (Magic especialmente Real e sua Bibliografia) para obter mais detalhes, se desejar.
Junto com cada lei listada, vou incluir “palavras-chave” para ajudar na memorização. Estas frases são generalizações grosseiras, mas têm a vantagem de serem breves e fáceis de lembrar.
É inteiramente possível que existam outras Leis da Magia, no entanto, eu atualmente desconheço qualquer outra que seja realizada pela maioria dos magos neste planeta. Designers de jogos individuais e árbitros são livres para inventar novos universos para o seu jogo, mas eles provavelmente vão dar as simulações mais precisas magia se eles forem congruentes com estas aqui listadas.

A Lei do Conhecimento

Essência: Entendimento traz o controle, o quanto mais se sabe sobre um assunto, mais fácil será para exercer controle sobre ele.
Observações: Esta Lei é tão fundamental que quase nenhum trabalhosobre a magia já foi publicado, sem mencioná-la. Os comentários deChivalry&Sorcerysão bastante adequados aqui: “O Usuário de Magia pode ser comparado a uma combinação filósofo-sábio-cientista pesquisadorondeas atividades que diretamente visam aumentar a própria maestria da Magia podem dar ao mago qualquer ‘experiência’ valida ele.”Esses comentários são mais precisos para magos do tipo intelectual e do tipo teúrgico, mas são mais ou menos verdadeiro para a maioria dos usuários de magia outros sistemas também.
Palavras-chave: “Conhecimento é poder.”

A Lei de Auto-Conhecimento

Essência: O tipo mais importante de conhecimento mágico é o conhecimento sobre si mesmo; familiaridade com os próprios pontos fortes e fracos é vital para o sucesso como mago.
Observações:A maioria dos magos rapidamente descobre suas própriasqualidades e falhas. Afinal, esta é uma grande parte do que Aprendizagem é parte de tudo. É também por isso, “Magos Negros” são relativamente raros no mundo real (especialmente nas “altas patentes”), porque a dedicação ao “mal por amorao mal” é quase sempre devido à falta de introspecção e autoconsciência.
Palavras-chave: “Conhece a ti mesmo.”

A Lei de Causa e Efeito

Essência: se exatamente as mesmas ações são feitas exatamente nas mesmas condições, eles costumam responder exatamente aos mesmos “resultados”; feixessimilares de eventos produzem resultados semelhantes.
Observações: Magosacreditam muito na causa e efeito tal como os físicos modernos fazem – eles apenas sabem que um bom ritual, como um bom poema ou uma receita de pão bom, nem sempre é absolutamente previsível.
Palavras-chave: “Controle de todas as variáveis e você controla todas as mudanças – boa sorte!”

A Lei da Sincronicidade

Essência: Dois ou mais eventos que acontecem ao mesmo tempo, são suscetíveis de ter mais associações em comum do que meramente a coincidência temporal; muito poucos eventos realmente acontecem de forma isolada a partir de eventos nas proximidades.
Observações:Se você pressionar um cético profissional contra uma parede (cuidado, elas são desagradáveis quando encurralados) você verá que a palavra “coincidência” é um termo cientificista de exorcismo, usado para banir os demônios donão-material e, portanto, “não científica”:isto é, a causalidade.
Palavras-chave: “Coincidência é raramente simples.”

A Lei de Associação

Essência: se houver dois ou mais padrões com elementos em comum, os padrões interagem atravésdos elementos comuns; assim, o controle de um padrão facilita o controle sobre o outro (s), dependendo (entre outros fatores) do número, tipo e duração de elementos comuns envolvidos.
Observações: Este é provavelmente um dos mais importantes das Leis da Magia e está diretamente ligado à maioria das outras leis.
Palavras-chave: “Controle doselementos comuns.”

A Lei da Similaridade

Essência: Os efeitos são susceptíveis de ter uma aparência física ou mental semelhante a suas causas.
Observações: Ter uma imagem precisa / som / cheiro de um objeto ou ser facilita o controle sobre ele ou eles.
Palavras-chave: “sósias são iguais.”

A Lei de contágio

Essência: objetos ou seres em contato físico ou psíquico com o outro continuam a interagir após a separação.
Observações: Todo mundo que você já tocou tem uma ligação psíquica com você, embora seja (provavelmente) muito fraco, a menos que o contato tenha sido intenso e / ou repetido com freqüência. Naturalmente ter uma parte do corpo de alguém (unhas, cabelo, saliva, sangue, etc) dá o melhor elo de contágio. Quase tão bom são objetos de vestuário, lenços, lençóis, etc, que absorvem o suor ou outros fluidos corporais.Palavras-chave: “Magia é contagiosa.”

A Lei da Atração Positiva

Essência: Semelhante atrai semelhante; para criar uma realidade particular, você deve colocar a energia de uma espécie similar.
Observações: Esta lei é freqüentemente usada em feitiços de atração, saturando o aura do mago ou do cliente com símbolos e energias semelhantes aos queria. Também é comumente citada para fins moralistas para desencorajar os comportamentos indesejados na magia, com base em que se comportando mal vai atrair má sorte. Esta Lei pode se referir a “ressonâncias mórfica,” a tendência para formas de energia para completar-se, ou talvez “arrastamento das ondas”, que é a capacidade de vibrações em particular a criação de vibrações correspondente em padrões de energia nas proximidades. Um desses fenômenos podem acontecer com campos de energia psíquica, que poderiam facilmente causar os efeitos geralmente referidos na presente lei.
Palavras-chave: “Aquilo que é enviado, retorna.”

A Lei da Atração Negativa

Essência: Semelhante atrai ao contrário, energia e ações, muitas vezes atraem seus “opostos”.
Observações: As pessoas dizem que semelhante atrai semelhante, mas eles também dizem que os opostos se atraem. Este paradoxo pode ser conciliado contemplando o símbolo clássico “yin-yang”. As duas metades do yin-yang são de cores opostas, mas são idênticos na forma, assim oposto e similares em dois diferentes níveis de realidade (ou universos de discurso). No entanto, as duas metades tanto atraem e se repelem em uma eterna dança circular (ver a Lei de Polaridade abaixo).
Qualquer fenômeno mais complexo do que uma bactéria pode ser visto em vários níveis, de modo que você pode geralmente encontrar formas em que quaisquer dois fenômenos podem ser vistas tanto como oposto ou similar, dependendo de qual dessas Leis da Atração você está interessado em enfatizar.
A razão que esta lei não tenha ficado claro antes é que o dualismo ocidental geralmente escolhe um aspecto da existência em que dois fenômenos possuem e insistir que um único aspecto é “importante” na medida em que julgar o fenômeno a ser semelhante ou oposto.
Palavras-chave: “Os opostos se atraem”.

A Lei dos Nomes

Essência: Saber o nome completo e verdadeiro de um objeto, ser ou processo dá um controle completo sobre o mesmo.
Observações: Isso funciona porque um nome é uma definição, bem como um elo de contágio. Talvez mais importante, ele funciona porque saber o nome completo e “verdadeiro” de algo ou alguém significa que você alcançou um entendimento completo de sua natureza. É por isso que, na maioria das culturas pré-industriais, as pessoas recebem “nomes secretos”, bem como “nomes de público”, e porque a partilha de um nome secreto é um ato de confiança – porque o nome secreto é considerado muito perto, se não idênticos, ao verdadeiro nome da pessoa.
Palavras-chave: “O que há num nome? – Tudo!”

A Lei das Palavras de Poder

Essência: Existem certas palavras que são capazes de alterar a realidade interna e externa ao enunciá-los, e seu poder pode estar tanto nos sons das palavras quanto em seus significados.
Observações: Muitas palavras são nomes ea maioria tem definições conhecidas. Palavras bárbaras de poder são (atualmente, não se originalmente) palavras sem sentido, que, todavia podem liberar certos fenômenos psíquicos e estados. Muitas ferramentas mágicas requerem palavras para serem inscritassobre elas e / ou a ser ditas sobre elas durante a sua criação.
Palavras-chave: “Uma palavra para o sábio é suficiente.”

A Lei da Personificação

Essência: Qualquer fenômeno pode ser considerado vivo e ter uma personalidade, isto é, “ser” uma entidade ou ser, e podem ser eficazmente tratados desta forma.
Observações: Esta Lei se baseia em processos fundamentais de pensamento humano e faz amagia, especialmente aquelas com conceitos abstratos, muito mais fácil. A maioria dos magos que fazem a magia climática, por exemplo, personificam os ventos e as nuvens, e assim são capazesde concentrar-sena atmosfera muito mais facilmente.
Palavras-chave: “Qualquer coisa pode ser uma pessoa”.

A Lei da Invocação

Essência: É possível estabelecer comunicação interna com entidades de dentro ou fora de si mesmo, conversando com entidades que parecem estar dentro de si durante o processo de comunicação.
Observações:Tanto Invocação como Evocação podem controlar os processos de comunicação com um espírito, processo conhecido como inspiração, conversa, canalização (mediunidade), e posse temporária.
Palavras-chave: “Seres dentro …”

A Lei da Evocação

Essência: É possível estabelecer a comunicação externa com entidades de dentro ou fora de si mesmo, conversando com entidades que parecem estar fora de si durante o processo de comunicação.
Observações: Evocação é a Lei que controla a maioria das invocações.
Palavras-chave: “… Seres fora.”

A Lei de Identificação

Essência: É possível através da associação máxima entre os elementos de si mesmo e as de outro ser tornar-se realmente esse ser a ponto de partilhar os seus conhecimentos e empunhar o seu poder.
Observações: Esta é a Lei que controla os fenômenos de possessãode longa duração.
Palavras-chave: “Você pode se tornar outro.”

A Lei de Dados de Infinitos

Essência: O número de fenômenos a ser conhecido é infinito;sempre haverá coisas para aprender.
Observações: O melhor exemplo disso é a Internet. Você poderia gastar 24 horas por dia, sete dias por semana, e ainda nunca verá 1% da informação que está lá fora – e mais do conhecimento humano não está na net ainda (a partir de 1998, pelo menos).
Palavras-chave: “Há sempre algo novo.”

A Lei do Sentidos Finitos

Essência: Cada mecanismo de sentido de cada entidade é limitado por alcance eo tipo de dados percebidos.
Observações: Muitos fenômenos reais existem e que podem estar fora da capacidade sensorial qualquer de determinada entidade.
Palavras-chave: “Ninguém pode ver tudo”, ou “justa causa é algo invisível e não significa que ela não está lá.”

A Lei dos Universos Pessoais

Essência: Cada vida pensantevive dentro e muito possivelmente cria um universo único que nunca pode ser 100% idêntico àquele vivido por outro.
Observações: A chamada “realidade” é de fato uma questão de opiniões consensuais. Não há “Realidade” única existente, quer as pessoas gostem disso ou não – que é idéia estranha e populardevida às teologias monoteístas eocientificismo que as gerou – em vez disso, há realidades múltiplas e freqüentemente contraditórias de todos universos existentes simultaneamente. Esta Lei pode ou não ser o mesmo que a Lei do Universo Infinito.
Palavras-chave: “Vocês vivem em seus cosmos e eu vou viver no meu.”

A Lei de Infinitos Universos

Essência: O número total de universos em que todas as combinações possíveis de fenômenos existentes poderiam ser organizadas é infinito.
Observações: Algumas pessoas consideram que esta Lei se referir ao “mundos alternativos de probabilidade” de ficção científica, no entanto, tem uma aplicação muito mais ampla.
Palavras-chave: “Todas as coisas são possíveis, embora algumas sejam mais prováveis do que outras.”

A Lei do Pragmatismo

Essência:Um padrão de crença ou comportamento permite que um ser sobreviva e alcancesuas metas é melhor do que a crença ou comportamento do que é “verdadeiro” ou “real” ou “sensível” em quaisquer níveis de realidade que estejam envolvidos.
Palavras-chave: “Se funciona, é verdade”

A Lei do Paradoxo

Essência: É possível para um conceito ou ação funcionar de forma a violar os padrões de verdade de um dado universo (incluindo um indivíduo ou parte do grupo de uma realidade de consenso) e ainda continuar a ser “verdade”, desde que ele “funcione” em um contexto específico.
Observações: Um padrão de dados pode ser verdade em um “nível de realidade” e falsa em outro, dependendo das circunstâncias envolvidas. Por exemplo, no nível normal acadêmico da realidade dos Deuses do trovão são partes da “mitologias pitorescas dos nossos antepassados “ignorantes” e, portanto, “falso”, mas no nível da realidade envolvida na magia de fabricar chuva Eles são muito reais, de fato.
Palavras-chave: “Se é um paradoxo então é provavelmente verdadeiro”

A Lei da Síntese

Essência: A síntese de dois ou mais padrões “adversários” de dados irá produzir um novo padrão que será “mais verdadeiro” do que qualquer um dos princípios que o formam, ou seja, será aplicável a mais realidades (ou “níveis de realidade” ).
Observações: Este novo padrão não será necessariamente um consenso, mas pode ser algo novo.
Palavras-chave: “Síntesereconcilia”.

A Lei da Polaridade

Essência: Qualquer padrão de dados pode ser dividido em (pelo menos) dois padrões de “oposição” característicos, e cada um irá conter a essência do outro dentro de si.
Observações: Polaridade não deve ser confundida com o dualismo, um erro que os ocidentais têm cometido durante quatro mil anos e que possivelmente levou a mais tudo-em torno da miséria do que qualquer outro conceito teológico na história (ver Capítulo 11). Dualismo assume que os opostos estão em guerra uns com os outros; polaridade assume que eles se abraçam. Os criadores do fizeram o mundo do jogo um grande favor, quando eles fizeram “neutralidade” como uma parte dos alinhamentos políticos e morais em seus jogos. “Ordem contra Caos” e “Bom versus Mal” são sistemas de alinhamento tão comuns em jogos de fantasia e que são simplificações perigosas, mas a adição de “neutralidade” e “amoralidade” (para não mencionar os novos alinhamentos que foram inventados pelos jogadores e mestres, como “fome”, “estranho”, ou “whimsical”) acrescentaram muito mais criatividade na criação de personagem e ao jogo.
Palavras-chave: “Tudo o que contém o seu oposto.”

A Lei do Equilíbrio Dinâmico

Essência: Para sobreviver, muito menos para se tornar poderoso, é preciso manter todos os aspectos do próprio universo em um estado de equilíbrio dinâmico com todos os outros uma; extremismo é perigoso, tanto no pessoal, quantonos níveis de evolução da realidade.
Palavras-chave: “Dance com a música.”

A Lei da Perversidade

Essência: também conhecida como “Lei de Murphy”, “Lei de Finagle”, etc: se alguma coisa pode dar errado, dará – e da maneira mais irritante possível.
Observações: associações mágicas às vezes operam no reverso do que era procurado; coincidências significativas estãona mesma probabilidade de ser desagradável como a ser útil (especialmente se muita emoção vai para as situações relacionadas). Mesmo que “nada pode dar errado”, algum elemento do universo pode mudar para que as coisas dêem errado de qualquer maneira.
Esta Lei é provavelmente baseada no uso de contramágica pela própria mente subconsciente, por qualquer razãotortuosa ou mesmo neurótica que ele pode ter. Meu palpite é que ele também está relacionado com os talentos Anti-Psi. Esta Lei explica por que a magia de algumas pessoas parece funcionar para trás. Magos emocionalmente saudáveis têm menos problemas com esta lei do que os instáveis, e uma vez um mago tenhaatingido o grau Mestre seu “fator de erro” tende a diminuir em conformidade
Palavras-chave: Estes só podem ser: “Se alguma coisa pode dar errado, dará”.

A Lei da Unidade

Essência: Cada fenômeno na existência está ligada direta ou indiretamente a qualquer outro, passado, presente ou futuro; separações percebida entre os fenômenos são baseados em sensoriamento incompleto e / ou pensamento.
Palavras-chave: “Tudo é Um”.

Notas adicionais sobre as Leis

Várias dessas leis são, obviamente, uma parte do fundo metafísico de magia ao invés de parte das técnicas do seu dia-a-dia. Alguns, como Invocação e Evocação, ou infinitos universos e universos pessoais, podem realmente ser os mesmos princípios vistos de diferentes pontos de vista. Algumas das leis geralmente parecem ser subconjuntos ou cruzamentos de outras leis, como o gráfico mostra claramente.
Contágio semelhança, e “The Golden Bough”
A mais conhecida das leis na literatura ocidental são Similaridade e do Contágio, sendo que ambos são subconjuntos de Associação, e ambos os quais são famosos graças aos escritos de Sir James Frazer, especialmente o Ramo dede Ouro. A edição de um volume , editado por T. Gaster, e publicado sob o nome de The New Golden Bough, é vale a pena ler se você não tiver o vapor para passar por todos os 10.000 + páginas do original – mas você vai perder um monte de coisas boas. Muitas obras de ficção e não-ficção na fantasia, ocultismo e ficção científica (para não mencionar antropologia) publicados desde o tempo de Frazersupõe alegremente que essas duas são as únicas leis envolvidas em magia, apesar do fato de que fortes indícios de que as outras leis estão muitas vezes presente dentro desses trabalhos. Aparentemente, poucos estudiosos cuidado de crédito “selvagens ignorantes” e “ancestrais primitivos” com a possibilidade de organizar as suas observações em sistemas coerentes de pensamento, muito menos em filosofias complexas.
Deve ser lembrado que as semelhanças não têm que ser visuais, a fim de usar a Lei da Similaridade. Sons, cheiros, texturas, sabores, etc, podem certamente ser usados, bem como semelhanças abstratas que só existem na mente do mago. Como por contágio, os fenômenos envolvidos parecem ter declínio de padrões, ou “meia-vida.” Quanto mais tempo houver desde quando o último contato foi feito ou usado,mais fraca será a ligação do contágio.
Estas Leis se combinam com freqüência. Sangue de um aardvark sempre pode ser usado para controlar aardvarks mais do que o doador original, porque o sangue aardvark sempre será muito semelhante ao sangue aardvark. Feitiços de controle irão funcionar melhor sobre a fonte original da amostra contágio (e partes do corpo são geralmente as melhores amostras), mas uma amostra do corpo pode sempre ser usado para aumentar a eficiência de um feitiço feito em qualquer entidade com um corpo semelhante (e este corpo não tem que sempre ser orgânica – um mago a ter problemas com aparelhos tecnológicos podem optar por realizar os transistores ou as amostras de fiação em volta).

Invocações e Evocações

A Lei de invocação é a principal lei usada por xamãs e médiuns porque lida com vários tipos de possessão. A Lei de Evocação, no entanto, é usado por magos de Goetia e Necromantes para “convocar” vários tipos de espíritos, humanos ou não humanos, muitas das quais podem ser partes do subconsciente ou mente superconsciente dos magos si.

Universo em Saltos

A Lei de infinitos universos pode ser usada por magos tentando enviar um objeto ou ser (incluindo eles mesmos) para outro universo, ou para recuperar alguma coisa ou alguém de outro universo, como em vários feitiços de portal.

Polaridade Tática

A Lei da Polaridade pode ser usada para fins táticos em combate mágico, uma vez que cada alvo vai ter um “ponto fraco” de alguma característica “oposto” escondido profundamente dentro. Mesmo o mago mais vigorosamente “Bom” vai ter um ponto de “Mal” em algum lugar dentro, embora a sua posição mais elevada e a sua melhorsaúde emocional, mais fraco o ponto vai ser (não só vai ser mais difícil de chegar, mas vai ser menos útil para explorar).
O problema na maioria dos casos é descobrir exatamente o que constitui “o oposto” de um objeto complexo ou ser. Um “gigante do Norte Fogo” teria manchas de “sulidade”, frio e “ananilidade” dentro sua estrutura física e psíquica, mas apenas o aspecto do frio faria uma falhapara se concentrar em na maioria dos casos – a menos que você poderia ampliar sua “sulidade” para torná-lo mais hospitaleiro !

Perversidade e Desejos

A Lei da Perversidade pode fornecer uma série de incidentes divertidos e irritante em magia real e jogo. Na comunidade oculta, um dos ditados mais populares em todo o mundo é “cuidado com o que você deseja! – Você pode obtê-lo”

Leis Combinando

Por uma questão de uso prático, as Leis são raramente aplicadas isoladamente. Normalmente, duas ou mais são combinadas.

Por Isaac Bonewitz (com adaptações) Tradução: Agathos Athenodoros
Fonte - Neopagan.net/

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

O poder da Lua Nova


 


Entrada de Lua nova 27 janeiro 2017 às 22:08:19


Esta é a primeira fase do ciclo lunar e, como tal, corresponde a um recomeço. Durante os dias de Lua Nova, as energias são propícias a começar projetos ou um relacionamento, ao início de uma nova fase na vida profissional ou a uma mudança de visual. Embora os resultados não sejam visíveis de imediato, porque tudo ainda se encontra escondido na sombra, é o período mais favorável para lançar as sementes que desejamos ver dar frutos no futuro.

Na Lua Nova aumenta o espírito de cooperação e entreajuda. É a fase ideal para fazer as pazes com alguém, para reunir os familiares quando é necessário superar uma desavença, para estabelecer novos contatos sociais e para resolver um assunto que estava pendente. As pessoas tornam-se mais carinhosas e disponíveis para ouvir os outros, mesmo que não se apercebam desta influência por vezes tão subtil. O romantismo assume um papel de destaque na vida íntima, sendo também a fase ideal para quebrar a rotina a dois e revitalizar uma relação que atravessa um período de maior afastamento. Se tem um assunto para esclarecer com um amigo ou alguém próximo aproveite para o fazer durante estes dias de Lua Nova, que promove o diálogo e aumenta a capacidade de entendimento entre as pessoas.

Esta fase é também ideal para dar asas aos seus sonhos, para anotar os seus projetos e definir a melhor estratégia para concretizar os seus objetivos. Crie o hábito de, a cada Lua Nova, escrever num caderno aquilo que deseja alcançar durante o mês seguinte. Este é, também, o período ideal para por em marcha novos projetos e para iniciar ações.

As energias da Lua Nova são bastante propícias a todo o tipo de mudanças e renovações. Assim, se deseja mudar de casa ou fazer alterações na decoração, aproveite este período para as por em prática. Deite fora ou doe a instituições de caridade alguns objetos e roupas que já não utiliza, para que a energia desta fase lunar possa ajudá-la a libertar-se do seu passado, criando espaço na sua vida para a entrada de novas oportunidades. Faça uma limpeza geral em casa, ilumine zonas que se encontram mais escuras e ponha em destaque objetos que estavam esquecidos.
Na Magia, a Lua Nova é ideal para realizar rituais de libertação, afastando quaisquer energias negativas, e para pedir proteção. Também é um bom período para realizar simpatias e feitiços que envolvam o desenvolvimento de novos projetos.
A Lua Nova favorece os novos cortes de cabelo e as mudanças de visual. Se cortar o cabelo durante esta fase ele ficará menos volumoso. É o período ideal para comprar roupa nova e experimentar mudar de estilo ou adotar algumas mudanças na forma como se maquilha. Também é um período muito favorável para iniciar novos hábitos de vida ou uma dieta.
 
 
Ritual de Lua Nova

Vai precisar de:

- Quartzo Rosa – cristal do amor
- Jasmim seco – simboliza a pureza
- Carvão e recipiente para queimar
- Vela vermelha – representa a chama ardente de Leão

Na noite de Lua Nova, sente-se junto da janela e acenda a vela vermelha. Queime o jasmim, e faça o
seguinte pedido:

“Que o poder da Lua renove a minha vida amorosa,
que o fogo desta vela a faça ardente e apaixonada,
que o perfume desta erva a faça pura e amorosa,
e que este cristal torne real o meu pedido.”

Deixe a vela e o jasmim arderem até ao fim e deixe o cristal no parapeito da janela toda a noite, para apanhar os raios lunares.
 

Maria Helena Martins